Advertência sobre o conteúdo

Vício na Internet e redes sociais


Hoje vivemos em um mundo conectado graças à Internet. Estar conectado tem muitos aspectos positivos, isso é óbvio, mas há muitos aspectos negativos que surgem quando as pessoas não conseguem separar a vida na rede da vida normal como uma forma de satisfazer suas necessidades.


Dificilmente podemos conceber nosso mundo sem a Internet. É uma ferramenta que revolucionou muitas áreas de nossas vidas. Embora os aspectos positivos sejam inegáveis, existem outros aspectos negativos que surgem quando as pessoas ficam viciadas na rede como uma forma primária de satisfazer suas necessidades.


De acordo com o Instituto Superior de Estudos Psicológicos, o vício tecnológico é um comportamento repetitivo que resulta de forma prazerosa e gera uma perda de controle no sujeito, mais para o tipo de relacionamento com a pessoa do que para o próprio comportamento, gerando uma séria interferência em sua vida diária, seja em nível familiar, social ou acadêmico. Devido à evidência de interferência na vida cotidiana, um estudo publicado em dezembro passado na BMC PSychiatry revela um agrupamento em três dimensões:


- Preocupação emocional e cognitiva com o acesso à Internet.


- Negligência no trabalho (ou no meio acadêmico) e falta de autocontrole


- Problemas sociais


A Foundation for Addiction Treatment (FECAL) comenta que o vício na Internet é um problema de controle de impulsos, caracterizado pela incapacidade de abster-se ou uso moderado. Atualmente é um problema para muitos adolescentes, que experimentam sintomas de abstinência quando não podem entrar em linha, caracterizado por profunda angústia emocional, insônia, irritabilidade e inquietude. O abuso da Internet pode ser uma manifestação secundária de outro vício ou de outros problemas psicopatológicos.


Existem sinais de alerta importantes de dependência da Internet?


A psicologia afirma que sim, há sinais de alerta que denotam uma dependência das TICs ou das redes sociais e estes são:


- Privação do sono (dormir menos de 5-6 horas) para ser conectado à Internet.


- Negligenciar outras atividades importantes como o contato com a família, amigos, estudos ou saúde.


- Obsessão com a velocidade da conexão à Internet, sentindo-se excessivamente irritado quando a conexão falha ou é muito lenta.


- Perder a noção do tempo quando você está conectado à Internet por um longo período de tempo e mentir sobre quanto tempo você está online ou jogando jogos.


Atualmente, nossa vida diária não pode ser concebida sem o uso da Internet como uma ferramenta para gerenciar inúmeros serviços, para se conectar com outros, para iniciar um negócio ou para obter informações. Mas temos que ter em mente que para muitas pessoas pode se tornar o ambiente perfeito para escapar dos problemas do mundo, da família ou das próprias limitações. Dado que os adolescentes e os jovens são muitas vezes as pessoas que passam mais tempo online, é importante estar atento e prestar atenção, pois isso pode ter conseqüências importantes para a saúde mental.


Aumentar a quantidade de tempo gasto on-line poderia ter um impacto negativo sobre a personalidade, a auto-estima, a consciência, a estabilidade emocional, etc. das pessoas.


Finalmente, não se deve perder de vista a qualidade de vida e a percepção da felicidade associada ao uso problemático da Internet.